Existe uma infinidade de fibras têxteis que são aplicadas a diversos produtos que utilizamos em nosso dia a dia, engana-se quem acredita que elas são usadas apenas para a fabricação de roupas. As fibras têxteis podem ser obtidas de forma natural (de origem vegetal, animal ou mineral ), ou através de processos químicos ( artificial ou sintético ), portanto, são divididas em fibras naturais e químicas, observe a imagem abaixo com as principais fibras existentes de acordo com a sua origem principal. 

Fibras têxteis
Fibras têxteis

Já falamos sobre as fibras naturais na parte 1 deste artigo, agora abordaremos as fibras químicas. Caso não tenha lido a parte 1 ainda, sugiro que a leia antes para um melhor aproveitamento da parte 2.

Diferente das fibras têxteis naturais que já existem na natureza, as fibras têxteis químicas foram criadas inicialmente para copiar as propriedades das fibras naturais, sem as suas imperfeições, porém, logo se tornaram uma necessidade.

As fibras químicas são divididas em artificiais e sintéticas, e esta divisão é importante para entendermos alguns aspectos sustentáveis. As fibras químicas artificiais são criadas a partir de sínteses químicas tendo a celulose como matéria prima base, já as fibras químicas sintéticas são criadas a partir do petróleo e do carvão mineral.  

Tanto as fibras têxteis químicas artificiais quanto as sintéticas são produzidas pelo mesmo processo de extrusão, no qual o material em forma pastosa é pressionado por furos finíssimos em uma fieira. (imagine um balde com furinhos na base, onde você coloca  um material pastoso, e ele começa  a vazar pelos furos, formando um fio de “plástico” tipo o fio usado na vara de pescar, porém são fios de diversos materiais e com diversas finuras), isto configura uma fibra têxtil química.

Processo de obtenção de fibras artificiais
Processo de obtenção de fibras artificiais
Processo de obtenção de fibras sintéticas
Processo de obtenção de fibras sintéticas

 

Os filamentos ( fios ) que saem destes furos solidificam em contato com o ar e em seguida são estiradas para reduzir o diâmetro da fibra e aumentar sua tração. Quanto mais finas forem as fibras, maior  a facilidade com que o ar quente ou vapor do corpo tem de migrar para o meio externo, aumentando assim a respirabilidade e o conforto dos tecidos compostos por fibras químicas.

 

FIBRAS QUÍMICAS ARTIFICIAIS

Como citado anteriormente, as fibras químicas artificiais são criadas a partir de sínteses químicas tendo a celulose como matéria prima base, as principais são: Viscose, modal, liocel, acetato, fibras protéicas e o carbono.

 

VISCOSE

Considerada a “Seda artificial”, a viscose, foi a primeira fibra química artificial criada pelo homem.  A matéria prima da viscose é a celulose obtida da polpa de madeira de alta qualidade  do algodão. A fibra da viscose é obtida pelo tratamento da celulose, onde é dissolvida em soda cáustica, e depois inserida em um banho de ácido sulfúrico e sulfato de soda.

Os fios e as fibras de viscose são semelhantes aos do algodão em relação a sua maciez, toque, caimento e  resistência, porém quando molhada é pouco resistente, encolhe e amarrota com facilidade, amarela  e desbota com a transpiração, queima com facilidade e é mais sensível que o algodão aos álcalis, porém possui boa resistência aos solventes usados em lavagem a seco.

O grupo Lenzing é lider em produção de fibras de celulose.

OBS: A fibra de bambú na realidade é uma viscose de bambu, portanto não é uma fibra natural.

Aplicações: Vestuário em geral, cama, mesa e banho e em mistura com outras fibras.

Vantagens: Biodegradável, fonte renovável, toque macio, bom caimento.

Desvantagens: Processo de obtenção extremamente poluente e proliferação de micro-organismos.

 

MODAL 

Modal é a marca registrada Lenzing para uma fibra de celulose regenerada que apresenta uma série de avanços tecnológicos ampliados pelo surgimento da Micro Modal.  É uma fibra muito fina e muito leve ( 10.000 m de fibra pesa uma grama ) superando o algodão, a lã e até a seda. Por isso é capaz de absorver  a umidade mais depressa que o algodão e eliminá-la rapidamente. A superfície lisa da fibra impede o acúmulo de resíduos e detergentes durante as lavagens fazendo com que as cores sejam mais firmes.

A matéria prima do modal é a celulose obtida da polpa de madeira de alta qualidade e dos linters de algodão. O modal é uma fibra de celulose regenerada obtida pelo mesmo processo da viscose. O processo de fiação é um pouco diferente pois o banho de coagulação contém outras substâncias químicas, que influenciam no comprimento da cadeia molecular da celulose e na disposição interna da fibra ocasionando um aumento das regiões  amorfas. Assim,  a fibra é mais resistente a seco e a úmido  e possui maior  capacidade de absorção.

Vantagens: Biodegradável, fonte renovável, muito leve, toque muito macio, tingimento durável e boa resistência.

Desvantagens: Preço alto e proliferação de micro-organismos.

 

LIOCEL  

Liocel ( Tencel ) é uma fibra de celulose regenerada que usa um dos processos menos poluentes em sua fabricação. A marca Tencel foi patenteada pela Courtauds e comprada pela Lenzing que também patenteou  a marca Lyocell by Lenzing.

O liocel utiliza  a polpa da de madeira de árvores específicas, são árvores híbridas cultivadas geneticamente em fazendas especializadas para produção de fibras celulósicas.

O liocel é obtido através da dissolução da polpa de madeira com um solvente não-tóxico, um óxido de amina. Após a filtragem, a solução de celulose é extrudada através de fieiras produzindo filamentos finos que são lavados com água para remover o óxido de amina que é então purificado, reciclado e reutilizado no processo de obtenção de novas fibras. A efluência do processo é mínima e inofensiva, caracterizando a fibra como ecologicamente correta.

“O processo do liocel é particularmente compatível com o meio ambiente, e tem recebido uma série de prêmios. O respeito pelo ambiente e a biodegradabilidade das  fibras TENCEL® surgiram como principais critérios de mercado para vendas de fibras em segmentos sensíveis, tais como cosméticos, higiene e medicina.”  –  Grupo Lenzing.

Vantagens: Obtenção ecologicamente correta, biodegradável, fonte renovável, toque macio, tingimento durável, boa resistência.

Desvantagens: Preço alto, proliferação de micro-organismos.

 

ACETATO

O acetato é uma fibra artificial obtida nos anos 1920 a partir da reação da celulose com anidrido acético na presença de ácido sulfúrico, formando um composto derivado da celulose, o que caracteriza o acetato como uma fibra de celulose modificada.

O tecido mais conhecido de acetato é o Albene, que possui armação sarja, e é ideal para climas tropicais, pois é geladinho e tem bom  caimento.

Aplicações: Vestimentas em geral e outras aplicações industriais, filmes para fotografia e fitas para vídeo cassete.

Vantagens: Fonte renovável, brilhoso ou opaco, toque geladinho e boa resistência.

Desvantagens: É a menos natural das fibras artificiais, possui eletricidade estática.

 

PROTEÍNAS

As fibras protéicas são obtidas a partir da proteína do leite, milho, soja, batata, arroz e cana de açúcar. Apesar de serem fibras têxteis suas aplicações são diversas, e aqui poderemos notar a sua importância sustentável como forte substitutos aos produtos feitos a base de petróleo. Um ótimo exemplo é o Biocycle: Plástico biodegradável proveniente da cana-de-açúcar.

 

CARBONO

O carbono é uma fibra especial, super leve e resistente, é obtida a partir do carbono presente em algumas fibras celulósicas como algodão, cânhamo e viscose e  principalmente em fibras acrílicas ( fibra química sintética ), portanto em alguns casos também pode ser considerada uma fibra química sintética.

Apesar de não ser aplicada especificamente a roupas, é uma fibra muito importante, pois sua leveza e resistência a tornam perfeita em substituição a liga de ferro em diversas aplicações. Você pode não perceber ou até não saber, mas ela está presente em muitos artigos ao seu redor.

Aplicações: Peças para aviões, painéis automotivos, construção civil e diversos artigos esportivos.

OBS: A Nike desenvolveu o “Nike Mercurial Vapor SL, 1° tênis feito de fibra de carbono, material usado para fabricar jatos. A sola é composta por 7 camadas de poliuretano e carbono, deixando o produto excepcionalmente leve e ultra resistente.

 

FIBRAS QUÍMICAS SINTÉTICAS

As fibras têxteis químicas sintéticas são criadas a partir do petróleo e do carvão mineral. São elas: Poliamida, poliéster, acrílico, elastano, polipropileno e polietileno.

 

POLIAMIDA

Nylon é a marca registrada da DuPont para designar as fibras de poliamida 6,6, a primeira fibra sintética desenvolvida por Wallace Carothers, que foi produzida em 1935. Existe mais de um tipo de poliamida, os dois mais importantes para o setor têxtil são o Nylon 6 e o Nylon 6,6. A numeração se refere ao número de carbonos da

matéria prima. A poliamida aromática (aramida ) é usada na produção de fibras de alta resistência como O Kevlar® e o Nomex ®.

Dentre as fibras químicas sintéticas, a poliamida é a melhor opção em termos de vestibilidade, pois é a mais confortável e durável. Por isso produtos que possuem poliamida em sua composição geralmente são mais caros que produtos que possuem poliéster por exemplo.  

Vantagens: Melhor conforto térmico entre as sintéticas, boa resistência, toque macio, fácil manutenção.

Desvantagens: Não é biodegradável, fonte não renovável, pouca respirabilidade.

 

POLIÉSTER

O poliéster é um polímero de longa cadeia sintética composto por um éster do álcool di-hídrico e do ácido tereftálico.

É uma fibra muito resistente que funciona super bem em mistura a outras fibras, é  a mais barata das fibras sintéticas, absorve pouca umidade e é termoplástica, ou seja,  deforma muito fácil com o calor. Possui grande versatilidade nas aplicações têxteis, porém forma pilling ( bolinhas ). Seca muito rápido, e é resistente a maioria dos produtos químicos.

OBS: Para um melhor conforto, em dias quentes, evite peças com composição 100% poliéster, pois dependendo do calor a que estiver exposto, a sensação será a de estar envolto por um plástico.

Vantagens: Alta resistência, versatilidade, fácil manutenção, impermeável, preço baixo e secagem rápida.

Desvantagens: Não é biodegradável, fonte não renovável, pouquíssima respirabilidade e formação de pilling.

 

ACRÍLICO

As poliacrilonitrilas ou acrílicas, são fibras sintéticas utilizadas atualmente em substituição as fibras de lã pura. Apresentam as mesmas propriedades da fibra de lã acrescidas de vantagens como antialérgicas e resistentes ao ataque de micro-organismos.

Aplicações: Vestuário, casacos de pelo alto e peles sintéticas, revestimentos, perucas e não tecidos, tapetes, cortinas e rolos de pintura, cobertores e brinquedos de pelúcia.

Vantagens: “Quente” como a lã, antialérgica, não encolhe, muito leve, preço acessível e boa resistência.

Desvantagens: Não é biodegradável, fonte não renovável, pouca respirabilidade e eletricidade estática.

 

ELASTANO

O elastano ou poliuretano é uma fibra elastomérica (composta por 85% poliuretano), ou seja, sua principal característica é o seu elevado grau de elasticidade.  A fibra elastano é comumente confundida e chamada de lycra, porém a LYCRA® é uma marca registrada para os fios de elastano da empresa Invista. Então não existe vestido de lycra, ou tecido ou malha de lycra por exemplo, o que existe são tecidos ou malhas que possuem elastano em sua composição que podem ser LYCRA® ou outro fio elastomérico. ( é igual chamar toda água sanitária de Q-boa, ou toda esponja de aço de Bombril ). Portanto use sempre o termo elastano para designar a fibra ou fio que estica.

A principal aplicação do elastano é proporcionar elasticidade aos tecidos convencionais em mistura com outras fibras, em proporções que variam entre 2% até 20% da composição de um tecido. Portanto você não encontrará um tecido 100% elastano, ela sempre estará misturada a outras fibras como a poliamida ou o algodão por exemplo, justamente para conferir elasticidade a diversos tecidos.

Aplicações: Vestuário em geral, principalmente roupas de praia e esportivas, roupas íntimas e meias, e artigos para aplicações médicas e estéticas.

Vantagens: Altíssima elasticidade, flexível, suave, macia e resiliente.

Desvantagens: Não biodegradável, fonte não renovável, sensível a produtos químicos e pouca respirabilidade.

 

POLIOLEFINAS

As poliolefinas são fibras derivadas do petróleo que tem uma ampla aplicação industrial e subdividem-se em polietileno e polipropileno. A matéria prima utilizada são olefinas produzidas petroquimicamente (propileno) através de um processo de craqueamento a vapor. São consideradas as fibras mais plásticas dentre as sintéticas.

O polipropileno foi desenvolvido em 1963 por Giulio Natta, que recebeu o prêmio Nobel de química pela ampla utilização da fibra devido a sua capacidade de transporte de umidade de um meio para outro. Os polímeros de polipropileno são as poliolefinas mais importantes para a produção de fibras têxteis.

Aplicações têxteis: Camadas superiores de fraldas descartáveis e absorventes, lençóis e toalhas hospitalares, cobertores, forro em tecidos planos e malhas, tecidos leves e de proteção, base inferior de tapetes e tapetes de pelo inserido, papel de parede, camadas de isolamento, tecidos filtrantes e diversos materiais sintéticos que imitam o couro.

Aplicações geotêxteis: Construção de rodovias, engenharia hidráulica, construção de túneis, fundações, Campos para práticas esportivas, drenagem, construção de edifícios, etc.

Vantagens: Alto transporte de umidade, versatilidade de aplicações, alta resistência, leveza e secagem rápida.

Desvantagens: Não biodegradável, fonte não renovável, pouquíssima respirabilidade e alta flamabilidade.

 

Este conhecimento sobre  a variedade de fibras têxteis existentes, bem como suas aplicações, principais características, vantagens e desvantagens são primordiais para adotarmos princípios mais sustentáveis e sermos consumidores mais conscientes. Não abordo aqui princípios sustentáveis, apenas apresento as fibras de um modo geral, em próximos artigos falarei mais sobre outros aspectos inclusive a parte sustentável.

Quer entender um pouco mais sobre as fibras têxteis e suas diversas aplicações? “A Fibrenamics é uma plataforma internacional da Universidade do Minho que atua em vários setores – com destaque para a arquitetura, a construção, o desporto, a medicina, a proteção, os transportes e os têxteis-lar – abrangendo todo o extraordinário mundo das fibras.” Este é 1º vídeo de um série sobre fibras têxteis e suas aplicações. 

E você, o que achou? Já conhecia todas as fibras? O que mais gostaria de saber sobre o assunto? Conta pra nós, deixe seu comentário.

______________________________________

Referências

* Tecidos – Dinah Bueno Pezzolo

* Tecnologia dos Processos Têxteis – Senai

* Fundamentos da Tecnologia Têxtil – Renato Nogueirol

* http://www.lenzing-fibers.com

* http://www.biocycle.com.br

* http://www.dupont.com.br/produtos-e-servicos/equipamentos-protecao-pessoal.html

* http://www.lycra.com/en/

* http://www2.lycra.com/la_po/webpage.aspx?id=638

* http://www.invista.com/por/brands/index.html

* https://www.web.fibrenamics.com/pt/fibrenamics/quem-somos/

Deixe um comentário.